#

.html

Curso livre básico de teologia.

Procura apresentar-te a Deus aprovado...2 Timóteo 2:15.

Loja Virtual!

Porque o chamado é coletivo. A vocação, individual.

Mantenedor

Seja um mantenedor deste ministério!!!

Web Rádio Atitude Gospel!

Levando louvor, adoração e ministração até os confins da terra.

Reflexões Pastorais

Seja edificado(a) com estas reflexões pastorais.

Versículo do Dia


terça-feira, 10 de outubro de 2017

O brilho que há em ti


Observe o sol... Independente condição do dia, quer com nuvens ofuscando seu brilho, quer não, todos dias, nasce fazendo sua parte. 
Nem mesmo as nuvens carregadas que trazem  as tempestades tirando seu calor, o impedem de  fazer sua parte. 
Reflita ao mundo o sol que há em ti. 
Não permita que as adversidades ofusque seu dia. 
Que assim como o sol, nada venha ofuscar o brilho de Deus em sua vida. 
Maior é o que está em ti, do que o que está no mundo. (1Jo 4.4 adaptado)

Não deixe ninguém tirar seu brilho!


Em Cristo Jesus; Pr. Kadu

sábado, 7 de outubro de 2017

Quando o sentido perde a razão

Texto: Mateus 6.19-24

Introdução
 O maior transtorno emocional na história da humanidade, sempre foi sua preocupação com o amanhã. Se observarmos, superficialmente, as escrituras, é notório destacar quando este transtorno tem legalidade na vida do homem. Quando lemos “E ambos estavam nus, o homem e a sua mulher; e não se envergonhavam (Gênesis 2:25)," podemos considerar que a partir do pecado o homem deu total legalidade este transtorno. 

Com base neste pano de fundo, podemos afirmar que o homem vive o presente preocupado com o que não viveu ou não viveu no passado, afastando de si a paz (Deus - Filipenses 4:7). Por outro lado, tranquiliza sua ansiedade e angústia (Inimigo - 1Pe 5:8).

1-  A busca equivocada pelo ter v22
“A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz.”

A parábola do filho prodigo ensina o quanto a candeia do corpo são os olhos. Pois quanto mais se busca ter de forma equivocada, mais distante do ter se fica, pois para ter é necessário ser.

“Pai, dá-me a parte dos bens que me pertence Lucas 15:12).”

 O texto reporta quanto aquela atitude distanciou o filho de próspero, uma vez que o autor aos Hebreus relata que “onde há testamento, é necessário que intervenha a morte do testador (Hebreus 9:16).”

2-  A busca equivocada gera desiquilíbrio v23
“Se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes serão tais trevas!”

Quando o homem permite que os valores materiais assumem primeiro lugar em sua vida, se propõe sofre todas as consequências em busca destes valores, muitos são levados à frustração ou enfermidade, à depressão e as vezes, ao suicídio, tanto físico, como espiritual.

3-  O desiquilíbrio desvia a verdadeira prosperidade v24
“Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.”

A parábola do rico insensato, enfatiza o quanto o desiquilíbrio desvia a verdadeira prosperidade.

"Mas Deus lhe disse: Insensato, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será (Lucas 12.20)?"

Nessa parábola, Jesus conta a história de um homem rico que conseguiu uma colheita muito grande em suas terras construindo grandes celeiros afim de armazenar mais alimentos para ostentar sua riqueza por longos anos. Deus, porém, reprova aquele pensamento e diz que ele morreria naquele mesmo dia. Jesus critica o cuidado daquele homem em acumular tesouros na terra e não se preocupar em construir tesouros no céu.

Reflexão:
O que lhe mais era surpreende na história da Humanidade? E ele respondeu:
- Os homens … E justificou...
Porque perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem dinheiro para recuperar a saúde.
E por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem do presente de tal forma que acabam por não viver nem o presente nem o futuro.
E vivem como se nunca fossem morrer…
… e morrem como se nunca tivessem vivido.

Conclusão v19-21
“Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam;
Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam.
Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.”

Por: Pastor Carlos Eduardo (Pr. Kadu)

sábado, 9 de setembro de 2017

Como alcançar o alvo?

...Continuação da ministração: "Como viver o novo de Deus?"

Texto: Fp 3.13-14

Introdução:
Não sabemos se Epafrodito exercia alguma liderança, entretanto, sua atitude foi maior que a de um  “líder” por estar disposto chegar “bem perto da morte” por amor a Cristo e a propagação do evangelho. 
Epafrodito é equivalente grego do nome latino “veustus”, e ambos indicam uma associação familiar  com o culto a de uma Afrodite (Vênus), que além de ser a deusa do amor e da  beleza, era também, protetora dos jogadores que invocavam seu nome quando faziam apostas arriscando suas fortunas.  Este é o motivo pelo qual Paulo usa o termo “arriscar”, que não é encontrado em outro texto do Novo Testamento, pois na literatura grega extrabíblica ela é usada para descrever aposta nos jogos. 
E é bem provável que Paulo utiliza esta expressão para, poderosamente afirmar que que Epafrodito “mesmo com o nome pagão”, arriscou tudo, não pode Afrodite, mas pela obra de Cristo, pois a expressão “bem perto da morte” usada pelo apóstolo em Fp 30 e a mesma usada para descrever o auto-sacrificio de Cristo em Fp 2.8 

Esta reflexão fora apresentada de forma dinâmica, e para tanto fora utilizado adolescentes e jovens do congresso proposto, cujo desde já quero externar minha gratidão e confiança conferindo a mim tamanha responsabilidade. 

Também fora usado, como norte, o texto de Efésios 4:1-6 que nos diz assim: 
"Rogo-vos, pois, eu, o preso do Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes  chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, Procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz.
Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes  chamados em uma só esperança da vossa vocação; um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós.

Sendo assim, como então, alcança o alvo?

1 – Alvo  
Colocamos quatro jovens e uma bacia no centro do altar. Um dos jovens tinha fácil tarefa de a menos de dois metros acertar o alvo, que na ocasião era a bacia, cujo os "dados" eram os tênis de outros dois jovens que auxiliava para a dinâmica.
Pois bem, TODOS os dardos chegaram ao alvo. Até aí, tudo bem... Como todo jogo sobe de nível, uma quarta pessoa que também auxiliava, foi acionada vendando então os olhos do mirolha, que após ter os olhos vendados, não teve ciência da ausência do alvo, errando assim todos os dardos e mesmo sem os olhos vendados não encontrou direção para lançar seus dardos no alvo, o que muitas vezes acontece quando perdemos novo maior alvo, guardar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz. 

2 – Prêmio 
Em nossa segunda dinâmica, fora solicitado que dois jovens unissem os dedos enquanto os outros dois jovens furassem o bloqueio para chegar ate o alvo, o que foi feito com sucesso, pois ambos os jovens com os dados juntos não tinham a mesma motivação dos demais. Afinal, o alvo os motivava. Isso revela o quanto devemos ser unidos, pois um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos. 

3 – Vocação
Após a realização de ambas as dinâmicas, pode-se então, perceber o quanto não somos nada sem um alvo, sem união, humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor. 

Ilustração:  
Um jovem que era feliz e não sabia. Buscou seus próprios interesses desejando o que parecia ser bom, e por perder o foco e não compreender o alvo, piorou seu estado condicional.
Muito pobre o jovem desejava ser o outro. Em seus pés, o pior calçado. Em seu corpo, as piores roupas... Seu desejo por ser o outro foi tão grande, que ao fechar os olhos se imaginou sendo o outro e, ainda sentado, não se levantava por não entender o quanto o outro ficou feliz com seu tênis e roupa velha. Quando de repente lhe chega sua governanta se lamentando pela demora, munida de uma cadeira de rodas.

Conclusão:  
Para viver o novo de Deus é preciso, esquecer os obstáculos e prosseguir  alcançando  sem perder  o  alvo  (a unidade do Espírito), que gera a vocação (o fruto do Espírito) a fim de que alcancemos o prêmio (Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos).

Por: Pastor Carlos Eduardo - (Pr. Kadu)